Governo baiano reúne sociedade, políticos e empresários em prol do estaleiro Enseada

Foto: Matheus Lemos

A retomada de operação da Enseada Indústria Naval, empreendimento localizado no Recôncavo baiano, voltou a ser tratado pelo governo do estado nesta terça-feira (16). O grupo de trabalho, encabeçado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, recebeu ex-prefeitos da região, o presidente do estaleiro, Maurício de Almeida, e parlamentares federais para reforçar as ações coletivas que miram a retomada de operação do setor naval baiano. 

“O esforço do governo e dos diversos entes deste fórum é para garantir que a Enseada volte a operar e desenvolver o Recôncavo baiano, gerando emprego e renda, como já fez no passado. Queremos que este importante ativo do estado, que chegou a empregar cerca de 7,5 mil trabalhadores, em 2014, volte à plena produção”, destacou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Luiza Maia.

A iniciativa, de acordo com o ex-prefeito de Maragojipe, Silvio Ataliba, é uma saída para o problema social que assola a região, como o desemprego e a violência. “Além do governo, dos parlamentares e da associação dos ex-prefeitos, precisamos envolver também a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) neste movimento de defesa do Recôncavo, pois o estaleiro é da Bahia e nós vestimos a camisa, lutamos por ele”, disse.

“Essa luta coletiva ajuda muito. O Enseada é da Bahia, de fato, temos aqui o melhor e mais tecnológico estaleiro do Brasil e temos potencial para concorrer internacionalmente. O investimento que fizemos e a manutenção dele é por acreditar neste projeto, no desenvolvimento do estado”, pontuou Maurício Almeida. Ele informou ainda que o Enseada acabou de ser classificado para a segunda fase de uma licitação da Marinha do Brasil, juntamente com outros três estaleiros brasileiros, para a construção de quatro navios de guerra.

Representando os parlamentares da bancada baiana no Congresso Nacional, o deputado federal Nelson Pelegrino (PT/BA) lamentou o desmonte da política de conteúdo local, promovida pelo governo Temer, fato que para ele impactou negativamente o segmento naval do país. “Precisamos lutar para revogar a atual política de conteúdo local, que penaliza as indústrias nacionais, e contra a MP 795, que reduziu a quase zero a alíquota de importação. Ambas as medidas prejudicaram o setor”, afirmou.

Representantes das secretarias de Infraestrutura e da Casa Civil e dos deputados federais Jorge Solla e Caetano, ambos do PT, também participaram do encontro, ocorrido no auditório da SDE, no Centro Administrativo da Bahia.

Entenda o caso

No início de setembro deste ano, o governo do Estado criou uma força tarefa, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), para viabilizar o reaquecimento do setor da Indústria Naval na Bahia. O foco era a retomada de operação do estaleiro Enseada, instalado em Maragojipe, no Recôncavo Baiano. Único de 5ª geração no Brasil, com tecnologia de ponta e qualidade na produtividade, o Enseada já foi um celeiro de oportunidades e chegou a empregar 7,4 mil pessoas, em sua maioria do Recôncavo. A intenção é atrair investidores e parcerias, além do apoio institucional, para que o empreendimento volte a gerar emprego e renda na região.

O maior estaleiro do país, com área de 1,6 milhão de metros quadrados, capacidade de processar 36 mil toneladas de aço por turno/ano e com potencial de gerar 4 mil empregos diretos, promoveu o desenvolvimento territorial do Recôncavo, no auge de sua operação, iniciada em 2012.

Para se ter um recorte deste passado, o produto Interno Bruto (PIB) de Maragojipe, em três anos, saltou de R$ 194 milhões para R$ 753 milhões, crescendo cerca de 272%. Além disso, no período de 2012 a 2015, cerca de 7 mil empresas foram abertas na região. O consórcio que deu origem à Enseada, à época, investiu R$ 3,2 bilhões no empreendimento. Hoje, os 35 funcionários lotados no estaleiro cuidam da manutenção dos equipamentos na planta industrial, situada às margens do Rio Paraguaçu.

Comente

Be the first to comment on "Governo baiano reúne sociedade, políticos e empresários em prol do estaleiro Enseada"

Deixe uma resposta