Fogo na coligação: traição enfraquece ACM NETO

Salve-se quem puder. A frase traduz com perfeição o clima na chapa encabeçada pelo ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), sob a liderança do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). Nesta quinta-feira (13/9), o site Política Livre noticiou a quebra de mais um acordo pactuado, evidenciando uma divisão no grupo que não pode ser mais escondida.

Depois de ter sido indicado candidato a senador da chapa, ao lado do senador Juthay Junior (PSDB), Lázaro (PSC) rompeu o primeiro acordo e lançou uma chapa proporcional em separado, dificultado a eleição de caciques do DEM e PSDB. Agora, Lázaro teria descumprido o acordo de não apoiar outro candidato a presidente e negou a candidatura de Geraldo Alckmin três vezes, passando a convocar atividades em apoio a Jair Bolsonaro.

O acordo com Lázaro já foi apelidado pelo jornalista Raul Monteiro como “o laço do capeta”, pois amarrou Zé Ronaldo, ACM Neto e Juthay Junior na mesma coligação do pastor que faz “carreira solo”, cuidado exclusivamente de seus interesses eleitorais e abandonando os demais.

O “laço do capeta” de Lázaro expõe nacionalmente a fragilidade da liderança de ACM Neto no grupo. Vale lembrar. ACM Neto é presidente nacional do DEM e um dos coordenadores nacionais da campanha de Geraldo Alckmin. Se Neto não controla nem a sua chapa, como evitar que prefeitos, deputados e lideranças do grupo abandonem o barco para cuidar da vida?

Por isso, lideranças políticas do grupo já falam abertamente que vão tratar das próprias campanhas e deixar a candidatura do ex-prefeito de Feira de Santana para ACM Neto resolver. “Quem pariu Mateus, que balance”, disse um dos descontentes, sem esconder a irritação.

Comente

Be the first to comment on "Fogo na coligação: traição enfraquece ACM NETO"

Deixe uma resposta