Valmir diz que Temer é réu confesso e que o povo tem o direito de escolher livremente seu presidente

Foto: Luiz Cruvinel/Divulgação

Na véspera do julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), que pode conceder ou não o habeas corpus preventivo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, marcado para esta quarta-feira (4), o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) engrossa o coro para que o petista permaneça em liberdade.

Em pronunciamento no plenário da Câmara, nesta terça-feira (3), Assunção destacou que o “povo brasileiro tem o direito de escolher livremente seu presidente”. Segundo ele, existe uma seletividade na busca por justiça no país e cita os casos de corrupção envolvendo o atual presidente Michel Temer (MDB). “Temer é um réu confesso e a minha indignação aqui é justamente pelo fato de terem tirado o direito do povo, quando cassaram a presidenta Dilma, impediram que o STF investigasse Temer e agora querem impedir que a população escolha Lula como seu presidente”.

Valmir diz ainda que vai acompanhar o julgamento no STF nesta quarta e defende o ex-presidente. “Todos os juristas sabem que Lula tem direito ao habeas corpus e, por ter direito, que ele, através dos seus advogados, reivindica. O que esperamos é que o STF possa conceder o pedido de Lula, porque o que está acontecendo no Brasil é uma perseguição”, destaca. Assunção cita a violência contra a Caravana de Lula pelo sul do país como um dos maiores exemplos da perseguição. “Fazendeiros colocaram tratores para fechar pista e não deixar o presidente chegar em cidades, ou seja, impedindo o direito de ir e vir. Se os sem-terra fazem uma mobilização onde quer que seja, os golpistas dizem que é baderna. Não vi nenhum golpista dizer que aquilo que os fazendeiros e o agronegócio fizeram no sul foram badernas. E foi pior, foi um atentado contra a vida de Lula”.

Conforme o deputado petista, é preciso refletir sobre o que está acontecendo no país. Ele cita que nos dois processos na Câmara Federal para autorizar o STF investigar o mandato de Michel Temer, os deputados aliados “salvaram” o presidente. “Temer é um réu confesso. Ele disse em uma gravação que era para comprar o silêncio de Eduardo Cunha para poder não delatar ele e, ao mesmo tempo, disse para os empresários procurarem o deputado da mala [Rocha Loures], o mesmo que saiu correndo com o dinheiro, e todo mundo viu essas imagens. Não vimos na sociedade brasileira, a direita, os coxinhas, o MBL, irem para as ruas ou fazerem mobilização via internet contra esses políticos, nem tampouco defendendo que fossem condenados ou que fizessem justiça no processo de investigação contra Temer”.

Comente

Be the first to comment on "Valmir diz que Temer é réu confesso e que o povo tem o direito de escolher livremente seu presidente"

Deixe uma resposta