Servidores comissionados de Camaçari são obrigados a ocupar Câmara para garantir votação do “pacote de maldades”

Foto: ASCOM/CMC

Após muita batalha e garra, os servidores públicos de Camaçari conseguiram derrubar mais uma sessão na Câmara de Vereadores, que irá aprovar o pacote de maldades do prefeito Elinaldo Araújo (DEM), que em resumo irá retirar direito dos funcionários.

Na tarde desta sexta-feira (22), o Badogada recebeu diversas mensagens de servidores comissionados dando conta de que houve uma reunião nos setores da Prefeitura obrigando-os a madrugarem na terça-feira (26), na Câmara de Vereadores, para ocupar as cadeiras para permitir que o pacote de maldades de Elinaldo seja aprovado.

O prefeito Elinaldo Araújo (DEM) chamou os servidores públicos de “movimentozinho” que “quer atrapalhar a gestão”. De acordo com o gestor, o projeto vai continuar em pauta na Câmara de Vereadores. Caso aprovado, o pacote de maldades” irá mudar no Estatuto do Servidor, na Lei do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), e no sistema de previdência municipal. Quem mais sofrer são os servidores que ganha pouco mais de um salário mínimo (R$ 1 mil). Hoje o desconto é 8,5% de ISSM e vão passar para 11% em 2018, um reajuste superior a 20% na alíquota.


Comente

Be the first to comment on "Servidores comissionados de Camaçari são obrigados a ocupar Câmara para garantir votação do “pacote de maldades”"

Deixe uma resposta