Marcelino fecha acordo com Oziel para dar aumento a militante do PT

Foto: ASCOM/Marcelino | Intervenção: Badogada

Desde o início da atual legislatura que o Badogada acompanha de perto todos os passos (por sinal muito estranhos) do vereador Marcelino (PT). O “negão” como é carinhosamente chamado pelos seus companheiros de partido, já ensaiou diversas vezes deixar o Partido dos Trabalhadores, porém o deputado federal, Nelson Pelegrino (PT), colocou o vereador em seu devido lugar e Marcelino desistiu de deixar a legenda.

Contudo, nos bastidores o “negão” está mais para um camaleão e, por debaixo do pano, tem negociado cargos e aumentos salariais para a sua base eleitoral no governo Elinaldo. Isso mesmo, caro leitor, um vereador de oposição, filiado ao PT, usa a camisa vermelha, mas por baixo tem um manto azul. Uma das provas – e tantas outras que o Badogada irá revelar – foi a recente promoção do seu chefe de gabinete, Denilson Santos Xavier, negociado com o presidente da Câmara de Vereadores de Camaçari, Oziel Araújo (PSDB), conforme publicação abaixo:

 

Até o mês de agosto, Denilson Santos Xavier ocupava o cargo de Assessor Parlamentar, com o salário de R$ 9.493,25, de acordo com dados do Tribunal de Contas do Município. Como a Câmara de Vereadores ainda não informou o valor da folha do mês de setembro em breve iremos descobrir qual foi o valor real do aumento.

A queda de Marcelino
O vereador Marcelino, que presidiu a Câmara de Vereadores na última legislatura, ainda não teve as suas contas julgadas e, de acordo com os próprios petistas, existem “atos” que precisarão ser explicados pelo petista, o que o deixa mais próximo do time azul para uma eventual articulação para aprovar as contas.

No PT municipal, Marcelino não tem a mínima simpatia dos militantes e para quem já ocupou o cargo de presidente municipal da legenda, em Camaçari, agora precisa enfrentar o isolamento e falta de prestígio interno. Desde as eleições municipais, Marcelino vem colecionando derrotas. Primeiro foi derrotado nas urnas pelo companheiro de partido Jackson Josué.

Ainda que tenha garantido a reeleição na Câmara de Vereadores de Camaçari, ao custo de quase R$ 120 mil, o vereador Marcelino (PT), foi alvo de constantes e intermináveis badogadas de petistas e funcionários da Câmara devido a forma “truculenta” que conduziu sua campanha e a presidência da Câmara, principalmente na reta final.

No pleito eleitoral, Marcelino foi duramente criticado pelos assessores da vereadora Professora Patrícia e do vereador Otaviano por “cooptar” lideranças dos edis que acabaram perdendo as suas respectivas vagas. Após as eleições, o presidente iniciou a “caça às bruxas” e exonerou quem não o apoiou ou fez campanha para outros candidatos, principalmente para os “companheiros” do PT.

Funcionários demitidos da Câmara de Vereadores até hoje não receberam sua grana, viu Marcelino?

Comente

Faça sua doação!

Deixe uma resposta