Aliado de ACM Neto, Michel Temer corta Bolsa Família

A redução do número de beneficiários do programa de transferência de renda Bolsa Família deixou o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) ainda mais indignado com o governo do presidente Michel Temer (PMDB). Para Valmir, a questão reflete a postura do governo federal em punir a população mais pobre pelos problemas causados pelo grupo político de Temer e do ex-presidente da Câmara dos Deputados, o hoje presidiário Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“É estarrecedor que depois de liberar dinheiro a deputados para arquivar uma denúncia contra si e de gastar R$ 14 bilhões para atender a interesses escusos, além de criar o bolsa-ruralista, o governo golpista de Michel Temer decida reduzir os programas sociais. Justamente o Bolsa Família que protege as famílias brasileiras mais pobres. As ‘bolsas’ concedidas em menos de seis meses pelo governo ilegítimo representam quase metade do Bolsa Família anual”, dispara Valmir.

Segundo Assunção, somente entre junho e julho de 2017, o número de beneficiários do Bolsa Família reduziu em 543 mil famílias, o maior corte desde o lançamento do programa no ano de 2003. “Os golpistas querem culpar o governo Dilma por eles tirarem os pobres do orçamento deste país. Eles têm que assumir que não gostam de pobres, que foi por isso que tomaram o poder de uma presidenta honesta, e agora quererem jogar toda a culpa por sua ineficiência administrativa e ingerência com os recursos do país para cima dela”, dispara Valmir. “Fora os cortes, existe ainda uma demanda de mais de meio milhão de famílias na lista esperando para entrar no programa, e o pior é que não tem previsão”, completa.

Em suas redes sociais, a ex-presidente Dilma Rousseff se pronunciou sobre o assunto e rebateu a gestão de Temer a respeito das declarações contra sua gestão. “Quando deixamos o governo, devido ao golpe do impeachment fraudulento, havia 13,9 milhões de famílias recebendo o Bolsa Família ao custo de R$ 27 bilhões. Hoje, são beneficiados 12,7 milhões de famílias. Uma queda de 1,2 milhão. E isso ocorre justamente num quadro de recessão e crise econômica profunda, com corte generalizado de gastos públicos. A rede de proteção social do Bolsa Família está sendo furada por esse governo ilegítimo e iníquo”. Dilma completa dizendo que “os pobres estão sendo retirados, desde o Golpe de 2016, do Orçamento da União”. Para a ex-presidente, “a desfaçatez dos usurpadores no governo não tem limites. Essas 543 mil famílias retiradas agora do programa custariam menos de R$ 100 milhões por mês. O governo ilegítimo vai colocar a conta do pato nas costas dos mais pobres”.

Comente

1 Comment on "Aliado de ACM Neto, Michel Temer corta Bolsa Família"

  1. O engraçado é que Lula foi ser testemunha de defesa do Eduardo Cunha mês passado, acho que essa amizade de PT e PMDB que dizem ter acabado com o impedimento de Dilma não terminou assim tão cedo como muitos imaginam, muito pelo contrário, eles estão juntos para tentarem se livrar da cadeia! Por isso que eu digo: CANALHAS! Canalhas mil vezes…….

Deixe uma resposta