“A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras”, aponta estudo

Foto: Ceert/Divulgação

Os negros possuem chances 23,5% maiores de serem assassinados em relação a brasileiros de outras raças, já descontado o efeito da idade, escolaridade, do sexo, estado civil e bairro de residência. Os dados assustadores foram revelados pelo Atlas da Violência 2017.

O Atlas, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), sinaliza que jovens e negros do sexo masculino continuam sendo assassinados todos os anos como se vivessem em situação de guerra.

De acordo com o estudo, com exceção do Paraná, os negros com idade entre 12 e 29 anos apresentavam mais risco de exposição à violência que os brancos na mesma faixa etária.

“Entre 2005 e 2015 houve um crescimento de 18,2% na taxa de homicídio de negros. Ou seja, não
apenas temos um triste legado histórico de discriminação pela cor da pele do indivíduo, mas, do ponto de vista da violência letal, temos uma ferida aberta que veio se agravando nos últimos anos”, explicam os pesquisadores

Comente

Be the first to comment on "“A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras”, aponta estudo"

Deixe uma resposta