Alunos ficaram sem aula e funcionários sem salário após intervenção de Elinaldo na Cidade do Saber

Foto: Divulgação

Após o prefeito Elinaldo Araújo (DEM) pedir a intervenção na Cidade do Saber e, consequentemente, o afastamento do Instituto Professor Raimundo Pinheiro, gestor do Programa Cidade do Saber, os alunos ficaram sem aulas e os profissionais sem receber salários e a rescisão trabalhista.

Por meio de nota, o Instituto Professor Raimundo Pinheiro, informou aos colaboradores o afastamento dos 160 profissionais que atuavam no projeto e recomendou “procurar o Sindicato da categoria para a defesa dos seus direitos haja visto que a entidade já participa de Mesa de Mediação junto ao Ministério Público do Trabalho”.

De acordo o Instituto, o período de pré-matrículas, que deveria ocorrer até o dia 10 de fevereiro estão suspensos. Em nota, a instituição afirma que “foi arbitrariamente afastado da gestão do programa social pela Prefeitura Municipal de Camaçari, que passa a gerir diretamente o projeto, AFASTANDO TODOS OS FUNCIONÁRIOS E EDUCADORES”, esclarece a nota.

Enquanto o prefeito Elinaldo Araújo (DEM) fica de picuinha com o Instituto Professor Raimundo Pinheiro, trocando notinhas infantis por meio do site da Prefeitura de Camaçari, a população de Camaçari deixa de contar com o maior equipamento de inclusão social da América Latina e os profissionais não tiveram seus direitos respeitados.

Se a intervenção se faz necessária para apurar as supostas irregularidades apontadas pela Prefeitura, onde está o plano emergencial para evitar que a Cidade do Saber feche as portas? Será que o povo de Camaçari precisa sofrer ainda mais? Será que está certo acabar com o sonho de milhares de crianças e jovens que desfrutavam de oportunidades que transformavam suas vidas?

Com a palavra o prefeito Elinaldo.

Comente

Be the first to comment on "Alunos ficaram sem aula e funcionários sem salário após intervenção de Elinaldo na Cidade do Saber"

Deixe uma resposta