Abra o olho japonês; querem “dar o ninja” na STT de Camaçari

Foto: Ascom/STT

Desde o “decretão” do prefeito Elinaldo Araújo (DEM), que exonerou todos os cargos comissionados da Prefeitura de Camaçari, os servidores da Superintendência de Trânsito e Transporte (STT) aguardavam a guilhotina chegar ao órgão, que por se tratar de uma autarquia, precisava elaborar um mecanismo específico para demitir os funcionários.

Na tarde desta terça-feira (10) veio o golpe final: todos os 55 servidores em cargos comissionados foram exonerados pelo novo superintendente da STT, Armando Yokoshiro Filho, carinhosamente chamado de “japonês”. Ao ser questionado sobre a rescisão contratual, o “japonês” disse que ele mesmo já trabalhou em cargo comissionado e saiu sem receber nada, o que deixou os funcionários apreensivos e frustados.

Abra o olho japonês
Enquanto, Yokoshiro tenta aprender os “caminhos” da STT, o seu chefe de gabinete Cleiton S. Pereira tem articulado internamente a “criação de atalhos” no órgão para a sua ascensão. Cleiton, que é filiado ao DEM e dirigente do partido em Camaçari, é servidor efetivo da STT.

A primeira vitória de Cleiton sobre o seu chefe será comandar o setor jurídico da STT, uma grande incoerência, tendo em vista que ele fazia a defesa dos próprios “colegas” que respondiam a caso de denúncias e abuso de autoridade. Que jurídico será capaz de funcionar assim?

A segunda vitória de Cleiton sobre o japonês será a proposta de “promoção” dos agentes efetivos para supervisores, debatida nesta terça-feira (9), entre os agentes. Cabe lembrar que durante a greve da STT, no governo Ademar, o atual chefe de gabinete esteve na linha de frente e agora é a hora de “cobrar a fatura”.

A proposta inicial é que seis dos 12 supervisores serão agentes promovidos, contudo o método de seleção cheira a maracutaia, pois serão os próprios agentes que irão escolher, obviamente os “agentes leais” ao DEM e ao atual chefe de gabinete.

Na opinião dos funcionários ouvidos pelo Badogada, o modelo que atenderia o município de “promoção” seria por antiguidade e competência comprovada. O ideal também seria existir um plano cargos e salários, para resultar em um bom trabalho na rua, sem contar no aumento do efetivo, pois irão tirar agentes da rua para assumir funções administrativas.

Se liga, japa!
Como o atual superintendente da STT, Armando Yokoshiro Filho, não conhece a política de Camaçari, muito menos os seus agentes políticos deveria “usar o seu sentido ninja” e identificar seus inimigos internos. Em 2014, caro Yokoshiro o seu atual chefe de gabinete esteve envolvido em um polêmico caso de fraude.

De acordo com o delegado e coordenador do Grupo Especializado de Repressão aos Crimes Eletrônicos, Charles Leão, Cleiton dos Santos Pereira esteve envolvido na criação de um perfil falso no Facebook que atentou contra a honra do então titular da STT, Anderson Santos, acusando-o de crimes inexistentes para prejudicar a sua gestão. No fim da investigação foi comprovado que Anderson não respondia a nenhum crime e Cleiton dos Santos Pereira foi indiciado por crime contra a honra.

A frase de um dos funcionários exonerados da STT traduz bem o clima no órgão: “Coitado do japonês, ele é um bom quadro técnico, mas foi vencido pela política de Cleiton. É melhor Yokoshiro abrir o olho”.

Comente

Deixe uma resposta