Perfis da Prefeitura de Lauro de Freitas são roubados no Facebook

Um crime ronda Lauro de Freitas e o responsável precisa ser encontrado. Nas últimas semanas da gestão do pior prefeito da história do município, Márcio Araponga, as páginas e perfis dos órgãos e secretarias da Prefeitura de Lauro de Freitas, no Facebook, simplesmente foram “modificadas” e/ou tiradas do “ar”.

Apenas o setor de comunicação da Prefeitura tem acesso aos perfis, o que reduz as possibilidades de identificar o autor. A comunicação era subordinada ao Chefe de Gabinete, tudo sob os olhos do atual prefeito Márcio Araponga.

Fato é que a Superintendência de Comunicação da prefeita eleita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, assumirá a gestão da comunicação sem nenhum perfil/página para dialogar com a população, bem como sem nenhum histórico das ações dos últimos quatro anos. Apenas o site da Prefeitura está no “ar”, com a última notícia datada de 1 de agosto de 2016.

A culpa é de quem?
Atualmente, a Prefeitura de Lauro de Freitas não tem assessoria de comunicação. O Badogada tentou contactar os últimos responsáveis pelo setor de comunicação, mas nenhum deles atendeu as ligações. O único que respondeu aos contatos foi o jornalista Paulo Maneira, ex-diretor de comunicação da Prefeitura, que deixou o cargo em maio de 2016.

De acordo com o ex-diretor de comunicação, ao entregar o cargo, a Fan Page da Prefeitura de Lauro de Freitas tinha quase 10 mil curtidores. Conforme apurado pelo Badogada, na gestão de Maneira, as páginas estavam ativas, com um crescimento contínuo de engajamento (curtidas, comentários e compartilhamentos) e curtidas, conforme relatórios (acima e abaixo). Porém com a sua saída, e em meio a crise da gestão do pior prefeito da história de Lauro de Freitas, o setor de comunicação, assim como toda a cidade, foi abandonado.

“Todos os perfis sociais da Prefeitura eram gerenciados pelo e-mail institucional da Agecom, que também administrava o perfil de outras secretarias como: Saúde, Educação, Settop, Semasci, Juventude, Cultura, entre outras. O e-mail da agecom, gerenciava os perfis e os respectivos assessores da pasta eram geradores de conteúdo”, explica o jornalista.

Em sua gestão, Maneira explica ainda que foram criados perfis/páginas para todas as secretarias, porém algumas foram extintas pois não tinham demandas ou profissionais de comunicação para a produção de conteúdo.

“Mensalmente, o departamento produzia um documento com o relatório de atividades nas redes sociais. Na minha saída o mesmo foi apresentado e as senhas ficaram com os funcionários que deram continuidade, pois com a minha saída não existia a decisão de quem daria continuidade ao trabalho”, explica o ex-diretor de comunicação.

Entenda o caso
Após apuração do Badogada, algumas páginas mudaram de nome, uma tentativa comum quando se pretende mesclar com outra página já existente. Por exemplo, eu gerencio a página da Prefeitura de Salvador, aí resolvo mudar o nome para Badogada Salvador e mesclo com uma página já existente (no meu caso: Badogada). Pronto, de forma simples, desonesta e criminosa, eu me aproprio indevidamente de um patrimônio público – lembre que se trata de uma página criada por um servidor público,com salário pago pelos contribuintes, no exercício da sua atividade e ainda validada pelo Facebook como oficial, ou seja, a página pertence a Prefeitura e não ao prefeito ou qualquer um dos seus funcionários – crime previsto na legislação.

Printscreen comprova a mudança de nome das páginas oficiais da Prefeitura

A autoria desse procedimento é possível ser identificada. Basta para isso que a próxima prefeita de Lauro de Freitas, junto com sua equipe, ingresse com uma ação na justiça e no Facebook para identificar o autor dessa insanidade e consiga reverter a situação. As provas já foram expostas, cabe agora a nova gestão solucionar o impasse.

Comente

Deixe uma resposta