Acender uma vela a Deus e outra ao Diabo: as lições de Elias Natan

Diz no ditado popular, que quando uma pessoa tem um interesse (e não tem limites), muitas acendem uma vela a Deus e outra ao Diabo. Na dúvida é melhor garantir, não é? Pois essa foi a conduta do vereador e agora próximo secretário de Saúde de Camaçari, Elias Natan (PR), que revelou a todos a sua verdadeira estratégia: acendeu uma vela para Elinaldo, Caetano e Ademar em troca do comando da Secretaria de Saúde.

A sua história política é conturbada, marca por troca de partidos e ausência de linha ideológica, mas com campanhas regadas a dinheiro. Em 2008, Elias Natan possuía um patrimônio avaliado em R$ 199.545,00 e disputou sua primeira eleição para vereador de Camaçari pelo DEM, sem sucesso.

Quatro anos depois, a sua lista de bens sobre para R$ 781.773,73, ele migra para o PV e é eleito por quociente partidário. Ainda no PV, em 2014, o vereador tenta abiscoitar uma vaga na Assembleia Legislativa, em uma dobradinha com Caetano, sem sucesso e sai com um prejuízo de R$ 56.269,89.

A campanha para vereador e “a vida de vereador” custou mais caro e, em dois anos, o patrimônio caiu de R$ 725.503,84 para R$ 672.781,47. Para garantir sua reeleição tirou do próprio bolso (oficialmente declarado) R$ 55.665,28. E deu certo.

Com o rompimento de Caetano com Ademar, na Câmara de Vereadores Elias Natan (PV-PR) permaneceu independente, flertando com Caetano, mas com umas “boquinhas” garantidas na gestão Ademar. O que pouca gente sabe é que Elias Natan foi convidado pelo próprio Caetano para ser o vice-prefeito em sua chapa em 2016, porém rejeitou com o argumento que sua reeleição para vereador estava garantida.

Marchou (fora do ritmo, é verdade) na chapa da candidata de Ademar, a sumida Jailce Andrade. Porém, na surdina acendia uma vela para Deus, para o Diabo (e inovando no ditado popular) outra para Ademar. Na reta final da campanha chegou a colar o adesivo de Caetano no peito, que levou inclusive a Caetano “ajudar” a campanha de Natan.

Em menos de dois meses, Elias Natan revelou as suas três faces de um desejo: “manteve-se fiel” a Ademar, “ensaiou um romance com Caetano”, mas caiu, no fim das contas, “no colo de Elinaldo”. O preço: a Secretaria da Saúde de portas fechadas.

Comente

Be the first to comment on "Acender uma vela a Deus e outra ao Diabo: as lições de Elias Natan"

Deixe uma resposta