Pura espuma: reforma administrativa de Elinaldo economiza pouco e acaba com secretarias importantes

O prefeito eleito de Camaçari, Elinaldo Araújo, comandado por Helder Almeida, apresentou nesta segunda-feira (28) a cômica reforma administrativa da sua gestão, que irá reduzir de 20 para 13 secretarias. A redução prevista é pequena, pura jogada de marketing, uma vez que a economia prevista será de apenas R$ 50 milhões/ano, uma quantia irrisória para mudar Camaçari.

Na prática, as secretarias que serão extintas pelo novo prefeito são justamente as que mais dialogam e atendem o cidadão, como as secretaria de Habitação, Relações Institucionais, Cidadania e Inclusão, Ordem Pública e Sustentabilidade, sem contar em secretarias estratégicas para o município, como Desenvolvimento e Turismo, Articulação com União e Estado e a importante secretaria da Mulher, que representa 52% da população camaçariense e que agora não terão políticas públicas destinadas à elas e nem representante na Câmara de Vereadores. A empresa pública de limpeza, Limpec, também vai fechar as portas.

Desse modo, a reforma administrativa anunciada e que já foi encaminhada para Câmara de Vereadores em regime de urgência traduz o que será a gestão Elinaldo: distante do povo e uma máquina ineficiente para atender o cidadão, pois metade dos funcionários da prefeitura, em cargo comissionado, serão demitidos, aumentando ainda mais o quadro do desemprego em Camaçari.



Secretários
Durante a coletiva, Elinaldo comentou que além do perfil técnico que será exigido para os 13 secretários, eles precisarão também ter o “perfil Elinaldo” – que atenda e tenham paciência com o povo. Contundo, os nomes dos possíveis secretários que circulam nos bastidores mostram a contradição de Elinaldo.

Questionado se Tude continuará apenas como vice ou se irá assumir alguma secretaria, Elinaldo disse “Onde eu precisar dele ele vai estar”. Por sua vez, Tude, de forma muito humilde, disse que está à disposição para cumprir a missão delegada por Elinaldo.

Eleito por uma coligação composta por 10 partidos, Elinaldo disse que “não haverá secretarias para todas as legendas” em sua administração, diante do corte no número das secretarias. O prefeito eleito de Camaçari também disse que tomará medidas impopulares em sua gestão.

Guarda Municipal
Promessa copiada da campanha de Caetano, Elinaldo titubeou e disse que a criação da Guarda Municipal ainda será estudada. Fato é que desde a campanha, tanto Elinaldo quanto Caetano prometeram a criação da Guarda Municipal, porém, um secretário de Ademar que depois pulou para apoiar Caetano provou por A e mais B, que não cabe no orçamento do município a criação da Guarda, ou seja, foi apenas mais uma promessa de campanha. Ao se esquivar da pergunta, Elinaldo sinaliza que as contas estavam certas.

Cidade do Saber
Sobre a Cidade do Saber (CDS), Elinaldo aposta em um modelo transversal para aproximar a instituição da prefeitura. Em sua reforma administrativa, o próximo prefeito deu pistas de que a CDS estará mais próxima das secretarias de Educação e Esporte.

A partir de janeiro, Elinaldo disse que fará uma intervenção na Cidade do Saber para investigar o funcionamento e as contas e afastará a ONG Prof. Raimundo Pinheiro. “Desviaram muito dinheiro e usaram a Cidade do Saber com interesses político, por isso a atual administração será afastada, porém o prefeito ainda não sabe se uma nova Ong fará a gestão da Cidade do Saber ou se o equipamento público ficará ligado diretamente à Prefeitura de Camaçari.

Ainda sobre a Cidade do Saber, enquanto vereador Elinaldo denunciou e cobrou diversas investigações sobre a gestão do saber. Na campanha eleitoral chegou a propor inclusive uma auditoria, porém na coletiva de imprensa não fez referência a uma investigação mais profunda das contas da instituição.

Algumas questões importantes ficaram sem respostas, a saber:

Como ficará o quadro de servidores?

E os aprovados em concursos, que quase ninguém foi chamado?

Como será a gestão da orla com a extinção da Secretaria de Turismo?

Elinaldo vai ter coragem de fazer a prometida auditoria geral nas contas da Prefeitura de Camaçari nos três mandatos do PT?

Cadê o projeto para a revitalização do centro da cidade?

A Força Tarefa será mesmo extinta?

Qual será a atuação da Prefeitura para combater as invasões em áreas de proteção ambientais, a exemplo de Arembepe?

Comente

Be the first to comment on "Pura espuma: reforma administrativa de Elinaldo economiza pouco e acaba com secretarias importantes"

Deixe uma resposta