Geddel deixa ministério após denúncias de corrupção

Braço direito do presidente ilegítimo Michel Temer, o ministro Geddel Vieira Lima não resistiu aos escândalos e anunciou o seu afastamento do cargo para conter a crise política instalada em Brasília. Com a sua demissão, Geddel perderá o foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF), o terá sua vida ainda mais complicada caso a Procuradoria Geral da República abra inquérito contra ele.

Como já noticiado pelo site Badogada, Geddel foi acusado pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero de tê-lo pressionado a burlar um parecer técnico do Iphan para a construção do empreendimento milionário La Vue, onde Geddel comprou um apartamento avaliado em R$ 2,6 milhões.

Em sua carta de demissão, Geddel citou o sofrimento da família após as denúncias virem à tona e que chegou no limite da sua dor e por isso é hora de sair. Com a saída do ministro baiano, chega a seis o número de ministros afastados do governo Temer.

Veja carta abaixo encaminhada por Geddel a Temer via e-mail

carta-geddel-recadastrada

 

Entenda o caso
Na Ladeira da Barra, em Salvador, vai ser erguido o milionário empreendimento La Vue, com apartamentos avaliados em R$ 2,6 milhões e um deles pertence ao ministro Geddel. O problema é que as obras acontecem ao lado de sítios históricos e patrimônios tombados, como o Forte de São Diogo, a Igreja de Santo Antônio da Barra e o Cemitério dos Ingleses e foi reprovado, inicialmente, por técnicos do Iphan, IPAC e a própria Secretaria Municipal de Urbanismo.

Tecnicamente, a obra apresenta tantas falhas que o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) acionou na Justiça pedindo revisão do projeto e do parecer que autorizou a obra. Já a Procuradoria-Geral da República, no último fim de semana, pediu a paralisação das obras até que houvesse readequação dos padrões e um estudo prévio de impacto de vizinhança.

Para ter o alvará, o empreendimento imobiliário La Vue dependia da liberação do Iphan, órgão responsável por zelar pelo patrimônio artístico e cultural no país, que negou tecnicamente. É aí que entra o ministro Geddel que fez tanta pressão no Ministro da Cultura, Marcelo Calero, para “facilitar as coisas”, que levou Calero a pedir demissão e colocar a boca no trombone e denunciar a forma truculenta de Geddel para liberar o parecer técnico.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o ex-ministro da Cultura, contou os detalhes da “pressão” que Geddel fez. Marcelo Calero revelou que foi procurado pelo ministro pelo menos cinco vezes – por telefone e pessoalmente – para que o La Vue saísse de papel. Em uma das conversas, Calero comenta que, abertamente, Geddel ligou e pediu a interferência do ministro, pois tem um apartamento no condomínio milionário. “E aí, como é que eu fico nessa história”, teria reclamado Geddel.

Comente

Be the first to comment on "Geddel deixa ministério após denúncias de corrupção"

Deixe uma resposta